Praia do Canto protagoniza transformações de Vitória

Antes utilizada como área de lazer e ocupada por moradias de veraneio, a Praia do Canto carrega a beleza de protagonizar as principais transformações da cidade de Vitória. O bairro surgiu de um loteamento planejado pelo engenheiro Saturnino de Brito – que dá nome a uma de suas avenidas mais famosas –, cujo eixo central era a Reta da Penha.

Até meados da década de 50, era só o bonde elétrico que levava e trazia os moradores da região e frequentadores das praias mais famosas. O veículo seguia até a rua Aleixo Neto, onde ficava o ponto final.

Bondinho que circulava na Praia do Canto

Existiam as Praias do Barracão, das Castanheiras, do Canto, Comprida e de Santa Helena, além das Ilhas do Boi e do Frade. Com o aterro realizado pela COMDUSA, em 1972, as referências dessas praias deixaram de existir e o nome Praia do Canto se consolidou.

No final da Rua João da Cruz, existia um mangue onde moravam os pescadores. Além disso, as vias ainda eram precárias.

“A rua era um areal, desprovida de drenagem de águas pluviais e de qualquer pavimentação. Nas ocorrências de chuvas fortes, alagava totalmente. A iluminação pública era precaríssima, com os postes posicionados no eixo das ruas”, contou o arquiteto Jolindo Martins, morador do bairro à época.

Os primeiros edifícios começaram a ser construídos nos anos 60, mas o início considerável da verticalização na Praia do Canto ocorreu na década de 1970, quando foi desenvolvido um maior número de prédios com quatro pavimentos.

Praia lotada na Praia do Canto

Na década de 80, no entanto, as novidades começaram a bater à porta. O primeiro shopping center foi inaugurado, e as casas de veraneio deram lugar aos prédios.

Como a maioria dos terrenos da Praia do Canto era de Marinha, a construção desses edifícios, por um tempo, foi inferior a da região de Camburi.

No entanto, em pouco tempo, a verticalização explodiu e faz do bairro, hoje, a área da capital com o maior número de edifícios residenciais e comerciais por metro quadrado.

A Praia do Canto também foi cenário da explosão dos flats e apart hotéis no Espírito Santo, para servir a demanda de visitantes interessados em curtir a noite e o comércio sofisticado.

Assim, restaurantes, lojas, supermercados e farmácias lotearam a região e trouxeram o conceito de facilidade para a nova morada da classe média alta capixaba.

A possibilidade de ir do trabalho para casa, passar no supermercado e terminar no happy hour com os amigos, em poucos passos, é tudo que o morador da ilha do mel procura e merece para alcançar a melhor qualidade de vida possível.

Quer saber mais?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2021 Blog Mazzini